× Imagem em primeiro plano
top of page

Os 10 anos da Agência de Empreendedorismo de Pernambuco

Artigo do diretor-presidente da AGE, Márcio Stefanni, publicado no jornal Diario de Pernambuco em 30 de setembro de 2021

No ano de 2010, a economia de Pernambuco andava de vento em popa. O Produto Interno Bruto (PIB) do estado havia crescido 9,9%, enquanto que o país cresceu 7,5%. O setor industrial do estado vivia uma verdadeira revolução com a chegada de grandes empreendimentos, como a refinaria, os estaleiros, fábricas de alimentos e bebidas e o lançamento da pedra fundamental da planta da Fiat.


Estava em curso um grande esforço conjunto entre os governos federal e estadual para consolidar uma nova matriz produtiva capaz de acelerar o desenvolvimento. Para continuar crescendo e internalizar os efeitos positivos do avanço econômico, era preciso estimular não apenas os grandes empreendimentos, mas, sobretudo, interiorizar o desenvolvimento e impulsionar os pequenos negócios.


Foi com esse espírito que o Governo de Pernambuco criou, em 2011, a Agência de Fomento do Estado de Pernambuco (Agefepe). Inicialmente vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, foi instituída como uma sociedade de economia mista, integrante da administração indireta, com o objetivo de conceder apoio financeiro às micro, pequenas e médias empresas, produtores rurais e empreendedores locais, aumentando a competitividade e ampliando a geração de emprego e renda no estado.


Em outubro de 2019, com o lançamento do programa Crédito Popular, a Agefepe mudou de nome e passou a se chamar Agência de Empreendedorismo de Pernambuco (AGE). A ideia era reforçar ainda mais o seu papel de fomentar o empreendedorismo por meio do microcrédito, promovendo inclusão socioprodutiva para milhares de pernambucanos e pernambucanas. Hoje ligada à Secretaria de Trabalho, Emprego e Qualificação, a AGE chega ao décimo aniversário com resultados bastante expressivos.


Somente de outubro de 2019 para cá, a AGE já realizou mais de R$ 81 milhões em operações de crédito, beneficiando mais de 16 mil pessoas. O programa Crédito Popular, sozinho, responde por cerca de 40% do montante liberado, o que reforça sua função social e de agente transformador na vida das pessoas.


Com a deterioração do cenário econômico do país e o aumento do desemprego, problemas agravados pela pandemia da Covid-19, o microcrédito tem significado um alívio e um alento para milhares de empreendedores, sejam formais ou informais.


No contexto do Plano Retomada, lançado pelo governador Paulo Câmara em agosto, a AGE ampliou e facilitou ainda mais o acesso ao crédito. As medidas adotadas deverão ser capazes de beneficiar cerca de 28 mil pequenos e médios empreendedores, injetando outros R$ 81 milhões na economia de Pernambuco. Os desafios são imensos, mas com muito trabalho, avanço na vacinação e estímulo à economia na dose certa, vamos conseguir superar esta fase rumo a um novo ciclo virtuoso de crescimento.

bottom of page